Personalize Suas Preferência!

Escolhe a cidade que você deseja como página padrão do site. Você pode mudar a qualquer momento suas preferência.

buscar
 

  •   João Polippo
  • Região:São Tomé Noroeste     08-11-2016

Série Ansiedade


Não andeis ansiosos por coisa alguma, antes as vossas petições sejam em tudo conhecidas diante de Deus, pela oração e súplicas, com ações de graça. Fl. 4.6
 
Na Bíblia a palavra “ansiedade” é usada de duas maneiras, como uma preocupação realista e como um estado mental de aflição ou angústia.
Ansiedade como uma preocupação realista não é nem condenado, nem proibido. Embora o apóstolo Paulo tenha escrito em 2 Coríntios 11.28 que ele não estava ansioso (aflito) diante da possibilidade de ser açoitado, de passar frio e fome, ou perigos, ele afirmou que estava ansioso (isto é, preocupado) a respeito do bem estar das igrejas. Esse interesse sincero pelos outros pressionava o apóstolo diariamente.


Ansiedade como aflição ou angústia pode ter sido o que o salmista tinha em mente quando escreveu no Salmo 94.19: “nos muitos cuidados que dentro de mim se multiplicam”. No seu célebre sermão chamado de “Sermão do Monte”, Jesus ensinou que não devemos andar ansiosos (aflitos) por coisa alguma acerca do futuro ou de nossas necessidades básicas, como comida e roupa. Temos um Pai celestial que sabe tudo o que necessitamos e nos dará a provisão.


A ansiedade como aflição e angustia surge quando damos as costas para Deus, pegamos nosso fardo e consideramos, pelo menos com nossas atitudes e gestos, que temos que resolver nossos problemas sozinhos, em vez de reconhecermos a soberania e o poder de Deus.


De acordo com a Bíblia, não há nada de errado em enfrentar honestamente os problemas da vida e tentar resolvê-los. Ignorar o perigo é um erro tolo. Mas também é errado e doentio ficar mobilizado pelo excesso de preocupação. Os problemas que nos afligem devem ser apresentados a Deus em oração, pois Ele pode nos libertar do medo paralisante e da ansiedade, capacitando-nos a cuidar de forma realista das nossas necessidades e bem estar, bem como do bem estar do próximo.


Por causa dos efeitos maléficos da ansiedade, Jesus nos orienta a não ficarmos ansiosos por nada, pois a ansiedade pode prejudicar nossa saúde, reduzir nossa produtividade, afetar negativamente o modo de como tratamos os outros e diminuir nossa confiança em Deus. Quantos desses efeitos maléficos você está experimentando?
Próxima sexta veremos quais são as causas da ansiedade.
 
Ouça também o programa Mensagem de Paz que vai ao ar todas as sextas das 20:00 às 21:00, pela Bota FM 87,9.
 
Gilberto de Lima é formado em Teologia pela Faculdade Teológica Batista do Paraná e pastor da Primeira Igreja Batista de São Tomé.

 

Conheça a programação completa da PIB


Compartilhe com os amigos!

Deixe seu comentário