Personalize Suas Preferência!

Escolhe a cidade que você deseja como página padrão do site. Você pode mudar a qualquer momento suas preferência.

buscar
 

  •   João Polippo
  • Região:Paraíso do Norte Comportamento     06-01-2017

“Olha para mim e tem piedade de mim, pois estou solitário e aflito”
Salmo 25.16


Logo após a criação de Adão, Deus declarou: “Não é bom que o homem esteja só. Far-lhe-ei uma auxiliadora que lhe seja idônea.” Adão e Deus conversaram no jardim, mas o Criador sabia que os seres humanos precisam de outros humanos para viver bem. Por isso, Deus criou Eva e disse ao casal: “Sede fecundos, multiplicai-vos, enchei a terra.” Em comunhão com Deus e um com o outro, Adão e Eva não se sentiam sozinhos, ou solitários. Porém, quando o primeiro casal caiu no pecado, sua comunicação com Deus foi rompida e abriu-se uma separação entre marido e mulher. O egoísmo e a tensão interpessoal entraram em seu relacionamento e, em algum momento, a solidão penetrou na raça humana.


Uma das coisas fundamentais falando a esse respeito é saber distinguir solidão de isolamento. Na solidão, nós somos forçados a ficar sozinhos, enquanto o isolamento é um retiro voluntário. A solidão nos envolve e permanece em nós, apesar de fazermos de tudo para que ela vá embora; o isolamento pode ser iniciado de terminado quando bem entendermos. A solidão causa sofrimento, nos deixa esgotados e insatisfeitos; o isolamento pode ser estimulante, revigorante e agradável. Geralmente as pessoas procuram os pastores para falar de solidão, enquanto que são rara as pessoas que nos procuram para falar de isolamento. 


A Bíblia, em relação a outros temas, fala pouco sobre a solidão. A palavra “solitário” só aparece quatro vezes na tradução bíblica “Nova Versão Internacional”, duas destas referências estão nos Evangelhos de Mateus 1.45 e Lucas 5.16 e referem-se a lugares solitários; as outras duas, ambas nos Salmos 25.16 e 68.6, referem-se a pessoas. Porém, esse sentimento aparece repetidamente nas vidas de vários heróis bíblicos, como Moisés, Jó, Neemias, Elias e Jeremias. Davi escreveu no Salmo 25.16 que estava “solitário e aflito”. Jesus, que conhece todas as nossas enfermidades, certamente sentiu-se sozinho no jardim do Getsêmani. O apóstolo João terminou a vida sozinho e, talvez solitário na ilha de Patmos enquanto o apóstolo Paulo, aparentemente, passou seus últimos dias na prisão. Escrevendo a Timóteo, Paulo, já idoso, comentou que seus amigos tinham ido embora, alguns o haviam mesmo abandonado, e disse a seu jovem colega em 2 Timóteo 4.19: “Procura vir ter comigo depressa”.


A Bíblia inteira fala de nossa necessidade de comunicação com Deus e também com outros seres humanos, principalmente os cristãos que devem amar, encorajar, perdoar e cuidar uns dos outros. A base de qualquer solução para o problema da solidão do homem é um relacionamento cada vez mais profundo com Deus e com os outros seres humanos. Mas como que as pessoas estabelecem esses relacionamentos? Antes de entrarmos nesse assunto, é necessário conhecermos as causas da solidão, é o que vamos ver na próxima. Deus abençoe você querido leitor e até a próxima semana.


Gilberto de Lima é formado em Teologia pela Faculdade Teológica Batista do Paraná e pastor da Primeira Igreja Batista de São Tomé.

 


Referências:
COLLINS, Gary. Aconselhamento Cristão. São Paulo: Vida Nova, 2004.
WEISS R. Psicologia hoje. Loneliness. 1985, volume 19.
POUJOL. Jacques e Claire. Manual de relacionamento de ajuda: conselhos práticos para aconselhamento psicológico e espiritual. São Paulo: Vida Nova, 2006.


Compartilhe com os amigos!

Deixe seu comentário