Personalize Suas Preferência!

Escolhe a cidade que você deseja como página padrão do site. Você pode mudar a qualquer momento suas preferência.

buscar
 

  •   João Polippo
  • Região:Paranavaí Noroeste     12-07-2016

Atualizando...

 Chegam informações agora que vários lugares da região sudoeste e sul do Paraná tiveram vários estragos devido a forte chuva de granizos e ventos que chegaram a 100 km, assim que possivem estarei postando mais informações

Giro da Notícia
 Municípios com registro de granizo até às 17h (Brasília) mediante registros com imagens e vídeos de internautas dos grupos DONTM

Ampére
Bela Vista da Caroba
Bom Jardim do Sul
Campo Largo
Campo Magro
Chopinzinho
Colombo
Curitiba
Guaramiranga
Guarapuava
Imbituva
Ipiranga
Irati
Ivaí
Lapa
Laranjeiras do Sul
Palmeira
Pérola D’Oeste
Pinhal de São Bento
Ponta Grossa
Prudentópolis
Realeza
Salto do Lontra
Santa Izabel do Oeste
Santo Antônio do Sudoeste
São José dos Pinhais
Saudade do Iguaçu
Serranópolis do Iguaçu
Teixeira Soares

 

A operação da Polícia Federal para combater o contrabando de cigarros do Paraguai prendeu nesta terça-feira (12) um médico e um advogado suspeitos de liderarem o esquema criminoso. Além deles, outros nove suspeitos foram detidos. As investigações, que iniciaram em 2012, apontam que o grupo chegou a movimentar R$ 1,8 milhão por dia em cigarros contrabandeados. A operação denominada de "Pleura" ocorre no Paraná, São Paulo e Mato Grosso do Sul.

 

Segundo a PF, o médico atuava em dois hospitais públicos das cidades de Santa Isabel do Ivaí e Santa Cruz de Monte Castelo, no noroeste do Paraná. O suspeito chegou a abandonar alguns plantões nas duas unidades para coordenar o contrabando de mercadorias. 

 

"Detectamos que ele deixou alguns plantões em dois hospitais públicos e foi até os portos onde as embarcações atracavam para dar apoio e coordenar o transporte dos cigarros contrabandeados", detalha o delegado da Polícia Federal, Alexander Boeing Noronha Dias.

 

A Operação "Pleura" cumpre 21 mandados de prisão preventiva e 17 de busca e apreensão em três estados. Os mandados estão sendo cumpridos em Loanda, Querência do Norte e Capanema, no Paraná; em São Paulo, na cidade de Tupã; e em Mato Grosso do Sul, no município de Naviraí. Seis dos 21 alvos de prisão são contra fornecedores que estão no Paraguai, segundo a PF.  Eles serão incluídos na lista de procurados da Interpol.

 

Até as 11h55, onze pessoas tinha sido presas, entre elas o médico e o advogado, que são irmãos.

"Eles já atuavam há algum tempo com o contrabando. Na casa do médico encontramos anotações com toda a contabilidade da quadrilha, o que deixou claro a atuação deles. Já na casa do advogado encontramos uma grande quantidade de munição", pontua o delegado da PF.

Ao longo das investigações a Polícia Federal descobriu que o grupo movimentava cerca de R$ 1,8 milhão por dia em cigarros contrabandos do Paraguai.

 

Diariamente, 2.500 caixas da mercadoria eram carregadas em barcos, transportadas pelos rios Paraná ou Ivaí, e descarregadas em portos clandestinos de Querência do Norte. De lá, a mercadoria era levada por veículos pequenos até propriedades rurais da região, de onde eram distribuídas em caminhões com destino a São Paulo e cidades do interior paulista. 

A Polícia Federal estima que o grupo sonegava R$ 4 milhões em tributos diariamente. Por ano, a sonegação ultrapassava R$ 1,5 bilhão.

 

"Com o reforço da fiscalização em Guaíra, a quadrilha passou a utilizar uma nova rota para contrabandear os cigarros. Como a região de Querência do Norte não tem um policiamento ostensivo, o grupo se sentia a vontade para atuar. Mas, após algumas apreensões de caminhões, os motoristas presos relataram que os produtos foram carregados em Querência do Norte. Tivemos vários relatos, o que nos fez investigar aquela região", explica o delegado Alexander Boeing Noronha Dias.

O esquema criminoso gerou a criação de uma extensa rede de olheiros, carregadores e batedores que utilizavam armas e lanchas de apoio para viabilizar a atividade em diversas cidades, segundo as investigações.

 

Informações: G1.com


Compartilhe com os amigos!

Deixe seu comentário