Personalize Suas Preferência!

Escolhe a cidade que você deseja como página padrão do site. Você pode mudar a qualquer momento suas preferência.

buscar
 

  • Região:Cianorte Noroeste     26-12-2018

Já pensou em cultivar uma horta em sua residência? Ainda não? Então vale a pena considerar a ideia. Além dessas pequenas plantações incluírem mais vegetais e legumes na alimentação da sua família, principalmente das crianças que costumam se encantar pelo desenvolvimento das plantas, também é a garantia de mais qualidade nos alimentos consumidos, já que você pode produzi-los sem o uso de agrotóxicos. Isto sem contar que cuidar de uma horta é uma excelente atividade para ser desenvolvida com os filhos.

“Muita gente acaba não criando uma horta em casa ou no apartamento porque pensa que não tem espaço para isso. Mas a boa notícia é que esse tipo de plantação se adapta em diferentes ambientes, basta escolher o modelo certo”, explica técnico agrícola da Prefeitura, Juliano José Berto. Segundo ele, é preciso seguir três passos para escolher o local do plantio: pensar no espaço que está disponível, considerar quais espécies deseja cultivar e avaliar qual modelo melhor se integra à decoração e estilo da sua casa.

            Segundo o profissional, os tipos de plantações são diversos e apresentam valores variados para serem elaborados. “Os mais comuns são: direto na terra, seguido por vasos, em embalagens recicladas, em floreiras, em caixas de madeira ou uma horta vertical. Cada um pode eleger a forma que considera melhor. O que se deve lembrar, portanto, no momento de instalar a horta, é de preferir o ambiente da casa com mais iluminação natural, pouca humidade e que não receba muito vento”, esclarece o técnico agrícola.

CULTIVO

            Antes de dar início ao plantio é preciso preparar o solo com nutrientes e matéria orgânica para que as plantas cresçam com saúde. “Existem diferentes formas de preparar. Uma das alternativas é comprar as terras já preparadas ou você mesmo pode fazer a sua mistura com 1/3 de terra preta, 1/3 de vermiculita e 1/3 de matéria orgânica, que pode ser esterco de aves e gado ou húmus de minhoca, por exemplo”, explica o técnico agrícola, que ainda lembra a importância de utilizar a matéria orgânica para adubar a cada 15 dias.

Esteja certo de que, no local escolhido, a iluminação direta incidirá, no mínimo, cinco horas por dia, independente do período. Quanto à irrigação, que faz toda a diferença no desenvolvimento das hortaliças, o indicado é aguar a cada dois dias, dando preferência ao início da manhã ou final da tarde, momentos em que não há sol.

Após ter cumprido todos os passos vem o melhor momento: a colheita. O técnico explica que o tempo para recolher os alimentos da terra varia de acordo com cada espécie e pode ser influenciado por fatores como a época do ano, qualidade do solo, nutrientes e irrigação. “Algo necessário de se salientar é que a planta não precisa estar no seu desenvolvimento máximo para ser feita a colheita, é possível fazer isso antes. Isso proporciona algumas vantagens, como o incentivo para que a planta cresça mais e libere espaço para o desenvolvimento das vizinhas”, conclui. 

*Esse conteúdo integra a Campanha “Cianorte + Saudável”, uma iniciativa da Prefeitura, por meio das Secretarias de Educação e Cultura, Saúde, Assistência Social e Agricultura e da Assessoria de Comunicação, em atendimento a um dos eixos do Plano Municipal de Segurança Alimentar e Nutricional (PLAMSAN).

 


Compartilhe com os amigos!

Deixe seu comentário