Personalize Suas Preferência!

Escolhe a cidade que você deseja como página padrão do site. Você pode mudar a qualquer momento suas preferência.

buscar
 

  • Região:Cianorte Cianorte     14-06-2017

 

Iniciativa visa a capacitação dos integrantes da Rede de Proteção à Criança e ao Adolescente do município

 

            Quem nunca escutou frases do tipo “É melhor a criança trabalhar do que ficar na rua” ou “É melhor a criança trabalhar do que cometer crimes”? Os dizeres, que parecem transparecer uma realidade aceitável, refletem um sério problema ainda impregnado na sociedade: a exploração do trabalho infantil. E, justamente, para conscientizar cada vez mais pessoas quanto aos riscos e as implicações da realização desta atividade é que, nesta semana, em decorrência do 12 de junho, Dia de Combate a Exploração do Trabalho Infantil, a Prefeitura de Cianorte, por meio da Secretaria de Assistência Social, promove uma série de atividades sobre o assunto.

            Após as peças teatrais apresentadas na segunda-feira (12), em Cianorte e São Lourenço, para mais de 700 crianças e adolescentes, na terça-feira (13), foi a vez do Centro Estadual de Educação Profissional (CEEP), sediar uma palestra voltada aos integrantes da Rede de Proteção à Criança e ao Adolescente e à sociedade civil. O responsável por transmitir os conhecimentos foi o procurador da Justiça do Trabalho de Umuarama, André Vinicius Melatti, que discorreu a respeito de métodos de prevenção e erradicação do trabalho infantil.

 

 

“Agradeço a presença do procurador na nossa cidade e reforço o interesse de Cianorte em impedir que esse tipo de situação aconteça. Apesar de vivermos em uma região privilegiada, do ponto de vista econômico, se comparada a outras do país e do mundo, ainda apresentamos registros deste tipo de trabalho. Portanto, a nossa preocupação com o assunto é constante, pois sabemos das implicações no desenvolvimento das nossas crianças e adolescentes”, argumentou o prefeito Bongiorno durante a abertura do evento.

            Atualmente, o município desenvolve uma série de atividades para erradicar o trabalho entre esses públicos. “Contamos com toda a Rede de Proteção [à Criança e ao Adolescente] na identificação de casos para que as vítimas recebam a devida assistência e, assim, não percam seus direitos à educação, saúde e demais políticas públicas, tornando-se, no futuro, cidadãos com possibilidade de viver com dignidade, tendo sido respeitadas integralmente as fases do seu desenvolvimento”, garantiu a secretária de Assistência Social, Marlene Benalia Bataglia.

 

            “É muito bom trazer ao debate um assunto tão pertinente que, infelizmente, ainda é uma realidade do nosso país”, comentou a promotora da Vara da Infância e da Juventude, Elaine Lima. Em sua fala, ela também se utilizou da canção de abertura do evento “Criança não trabalha”, para enfatizar o quanto é satisfatório o fato dos pequenos darem ‘trabalho’, pois isso demonstra que estão inseridos em contextos sociais que lhes permitam o brincar.

            Representaram a Câmara Municipal, a vereadora Márcia Pereira, acompanhada do vereador Victor Hugo Davanço, que por sua vez, parabenizou a atuação de toda a Rede de Proteção à Criança e ao Adolescente. “Com o trabalho de vocês, que é feito com profissionalismo e amor, tenho certeza de que nossa cidade será cada vez melhor”, alegou. 

 

            A abertura da palestra contou com uma série de apresentações executadas pelos alunos atendidos pelo Serviço de Convivência e Fortalecimento de Vínculos. Eles entoaram, com violão e canto, as canções Te ver, Pais e filhos, A casa e A grande Família. Em parceria, houve ainda a manifestação de Capoeira, que envolveu os praticantes mirins da dança típica africana e a música. Encerrando as apresentações dos projetos desenvolvidos, se apresentaram os praticantes de Karatê e de Dança.

 


Compartilhe com os amigos!

Deixe seu comentário