Personalize Suas Preferência!

Escolhe a cidade que você deseja como página padrão do site. Você pode mudar a qualquer momento suas preferência.

buscar
 

  • Região:Cianorte Comportamento     27-04-2017

“As muitas águas não poderiam apagar esse amor nem os rios afoga-lo; ainda que alguém desse toda a fazenda de sua casa por este amor, certamente a desprezariam”. (Ct 8.7)

 

Semana passada falei um pouco sobre o casamento na perspectiva de Gênesis 2.24, onde o texto bíblico diz: “deixará o homem seu pai e sua mãe, e se unirá a sua mulher, tornando-se os dois em uma só carne”. Isso implica em relacionamento, mas quando se trata desse assunto, sempre vamos nos deparar com tensões.

 

Quando duas pessoas se casam, cada uma delas vai para o casamento com cerca de duas décadas ou mais de experiências passadas e maneiras próprias de encarar a vida. Cada um tem pontos de vista diferentes do outro e, às vezes, mesmo quando existe um desejo sincero de fazer concessões ou acomodações, os casais ainda assim têm dificuldades de resolver suas diferenças.

 

Mas, o que acontece se as pessoas não mostram boa vontade para tentar mudar, ou são insensíveis aos pontos de vista do outro, ou então se recusam a reconhecer as diferenças? Muitas vezes, isso gera tensões que, em geral, estão relacionadas com alguns fatores que abordaremos a seguir.

 

Sexo. A maioria dos casais enfrenta problemas conjugais, pelo menos de vez em quando. Entre eles, estão a falta de conhecimento, experiências irreais, o medo de não conseguir um bom desempenho sexual, as diferenças individuais de impulso sexual, as inibições na área sexual e as poucas oportunidades de privacidade. Por sua vez, a impaciência, a frigidez e a infidelidade (provavelmente os três problemas sexuais mais comuns) criam mais tensão, e isso dificulta ainda mais o desempenho adequado da função sexual. Outros fatores que também podem interferir com o funcionamento sexual são a insensibilidade de um ou ambos os parceiros, os períodos de atividades fora do normal, a existência de conflitos conjugais de natureza não sexual. Quando esses problemas não são resolvidos, quase sempre o casamento sofre.

 

Papéis. Vivemos numa época em que os papéis tradicionais do homem e da mulher estão sendo reavaliados. Isso gera muitos conflitos sobre as funções que cabem ao marido, e as funções que competem à mulher. A sociedade não representa muita coisa em termos de orientação e isso se deve ao fato de as opiniões estarem sempre mudando. Em contrapartida, a Bíblia é muito clara, mas muitas pessoas divergem na interpretação dos trechos que delineiam os papéis do homem e da mulher. O resultado são discórdias, às vezes acompanhadas de competições e sensações de ameaça. Quase sempre essa tensão se concentra na natureza e extensão do trabalho da mulher ou da sua vida profissional.

 

Inflexibilidade. Quando um homem e uma mulher se casam, cada um deles leva para o casamento uma personalidade ímpar. Às vezes, as diferenças de personalidade se complementam e se fundem num relacionamento mutuamente compatível. Verifica-se muitas vezes que os casamentos têm personalidades próprias, cada um deles com pontos fortes e fracos. No entanto, pode haver dificuldades quando um dos cônjuges, ou ambos, é inflexível, egoísta ou não quer mudar.

 

Religião. A Bíblia alerta para os problemas que surgem quando um cristão e um não cristão tentam viver juntos no casamento. Nós pastores temos observado muitas tensões quando marido e mulher apresentam diferenças quanto às diferenças denominacionais, graus de compromisso com as coisas espirituais, interesse na religião ou opiniões sobre a educação religiosa dos filhos. Às vezes, essas diferenças afetam outras áreas, tais como a escolha dos amigos, os princípios éticos, as atitudes em relação às obras de caridade e o uso do tempo aos domingos. A religião pode ser um fator de coesão e fortalecimento do casamento, mas quando marido e mulher têm ponto de vista diferentes, ela pode se tornar um destrutivo foco de problemas.

 

Essas são algumas das causas mais comuns que podem gerar conflitos no casamento. Gostaria de abordas aqui mais algumas, mas são questões muito complexas para ser tratado em tão pouco tempo. Nas próximas semanas continuarei falando um pouco mais sobre aquilo que pode causar conflitos no casamento. Semana que vem vou abordar sobre os valores, as diferenças de personalidades e o dinheiro que, junto com esses fatores abordados hoje, geram tatos conflitos no relacionamento conjugal. Que Deus abençoe você querido leitor e até a próxima semana.

 

Gilberto de Lima é formado em Teologia pela Faculdade Teológica Batista do Paraná, palestrante nas áreas de famílias e casais e pastor da Primeira Igreja Batista de São Tomé.

 

 

Contato: gilbertolima1978@hotmail.com

REFERÊNCIAS:

LAUER J. Casamentos Feitos para Durar. Rio de Janeiro: Imago, 1985.

HENRI J.M., Crescer: os três movimentos da vida espiritual. São Paulo: Paulinas, 2000

COLLINS, Gary. Aconselhamento Cristão. São Paulo: Vida Nova, 2004.

POUJOL. Jacques e Claire. Manual de relacionamento de ajuda: conselhos práticos para aconselhamento psicológico e espiritual. São Paulo: Vida Nova, 2006.

SOBRINHO, J.F. Aconselhamento cristão em tempos de crise. Rio de Janeiro: UFMBB, 2004.


Compartilhe com os amigos!

Deixe seu comentário